Resíduos Sólidos, Aterro Sanitário e Responsabilidade Fiscal é destaque em seminário que reuniu mais de 300 pessoas em Jales

image

Jales sediou o Seminário “Finanças e Meio Ambiente como Alternativas de Desenvolvimento” na sexta-feira, 29 de março, no Plenário “Presidente Tancredo Neves”, da Câmara Municipal. O encontro, realizado pela AMA (Associação dos Municípios Araraquarense) e UVESP (União dos Vereadores do Estado de São Paulo) em parceria institucional com a Prefeitura e Câmara Municipal de Jales, SABESP, Parlamento Regional de São José do Rio Preto, CETESB, Secretaria do Desenvolvimento Regional do Estado, Secretaria do Meio Ambiente e Secretaria da Fazenda, teve como principal objetivo discutir importantes questões relacionadas a resíduos sólidos, aterros sanitários e responsabilidade fiscal.

O evento reuniu aproximadamente 300 pessoas entre vereadores, prefeitos, vice-prefeitos, profissionais da área, empresários e sociedade civil, além do deputado federal Geninho Zuliani, o deputado estadual Itamar Borges e a vereadora de Ibirá e Presidente do Parlamento Regional de São José do Rio Preto, Sonia Beolchi.

Entre os assuntos debatidos durante o seminário, o Secretário Executivo da Secretaria Estadual da Fazenda, Milton Luiz de Melo Santo, destacou a importância da responsabilidade fiscal como condição básica para a retomada do desenvolvimento e que cabe ao Estado e aos municípios cuidar do equilíbrio de suas finanças.

O engenheiro Fernando Antônio Wolmer tratou da “Gestão de Resíduos Sólidos no Município”, oportunidade em que mencionou os avanços no Estado, onde praticamente não existem mais os antigos lixões, mostrando soluções apropriadas para o problema da destinação dos resíduos sólidos que vai desde aos programas de coleta regular ou seletiva, tratamento e disposição final.

Os aterros sanitários e o impedimento de funcionamento dos aeroportos em sua proximidade, com riscos de queda das aeronaves foi o destaque pelo 2º Tenente Biólogo da Força Aérea Brasileira, Weber Galvão Novaes. De acordo com o tenente, “só poderão funcionar os aeroportos e aeródromos próximos aos aterros sanitários que não ultrapassem 1.150 voos por ano, desde que o aterro esteja de acordo com as normas legais e que não atraia aves que coloquem em risco os voos e Jales é uma das cidades que foi analisada e não há qualquer restrição para o aeródromo e para o aterro”.

O prefeito Flávio Prandi Franco, o Flá, que também preside a AMA, mencionou a luta para conseguir a reativação do aeroporto municipal, agradecendo o apoio da Associação, problema enfrentado por muitos municípios e que também aguardavam por uma decisão, ficando agora apenas necessários alguns ajustes burocráticos para que possam operar seus aeroportos próximos aos aterros.

O sucesso e a importância de um evento deste porte para que o poder executivo e legislativo possam conhecer melhor as posições do governo e encaminhar suas reivindicações para resolver seus problemas abordados no seminário foi altamente destacado pelo presidente da UVESP, Dr. Sebastião Misiara.

Fale conosco

Obrigado por entrar em contato com a gente :)

Informe um nome

Informe um Email válido

A mensagem não pode ser vazia