O Ponto de Cultura Escola Livre de Teatro de Jales, apoiado pela Prefeitura de Jales, realizou o “Sarau no Ponto”, no último dia 25 de julho, sexta-feira, às 19h32. O evento aconteceu na área externa do Teatro Municipal, mais precisamente na esquina das ruas Seis e Sete. Almofadas, poltronas, esteiras e tapetes foram colocados para que a plateia ficasse em harmonia.

Segundo Clayton Campos, diretor da Escola, participaram aproximadamente 200 pessoas. O objetivo do sarau é promover um encontro entre todos os artistas e diretores, mas também em que o público possa atuar, não tendo divisão entre palco e plateia. “Todos são protagonistas e tem espaço para se expressarem”.

Música, cordel, poesia, teatro e dança foram as atrações da noite. Radicados em São Paulo, os jalesenses Neto Ferreira e Felipe Delatorre, que formam a dupla Demerara, foram os convidados especiais do evento. No repertório apresentaram algumas músicas de própria autoria e também outros estilos como sertanejo e folk. Há cerca de 10 anos, os jalesenses foram alunos da Escola Livre de Teatro, e voltaram agora em suas origens, como profissionais. Eles já se apresentaram no Sesc e em teatro de São Paulo.

Um fato interessante que Clayton destacou, foi a presença do tenor Ismael Tonholi. “Ele estava passando pela rua e observou que algo estava acontecendo no Ponto. Foi até lá e se apresentou para todos. Isso é a essência do Sarau”.

Para as famílias que compareceram foi colocado à disposição o cantinho das crianças, dando mais tranquilidade para os pais. O local disponibilizou pinturas em camisetas com spray, maquiagem teatral e pinturas de desenhos em papel. A ideia foi que elas também pudessem se divertir e mostrar seu estilo.

O Sarau acontece todos os meses, no mesmo horário e com os mesmos intuitos: romper com os padrões de apresentações formais.

O SARAU

Sarau é uma reunião, frequentemente noturna, que tem o intuito de compartilhar experiências culturais, convívio social, interação entre todo o público. Realizam-se atividades recreativas como música, dança, teatro, poesia, conversas, e demais atividades. Esse tipo de ação ganhou força durante o século XIX pelos grupos aristocratas e burgueses.