O Fundo Social de Solidariedade de Jales está abrindo inscrições para o Ciclo de Palestras “Saúde & Depressão”. A entidade ganhou mais essa oportunidade de oferecer gratuitamente à população jalesense da Igreja A Mensagem, presidida pelos pastores Marcos Moura e Márcia Maria Moura Silva, que serão os responsáveis pelo evento, que terá início na próxima quarta-feira, no Clube do Ipê em Jales.

As inscrições começaram a ser feitas no dia 10 e vão até o dia 16 de maio, ou até que se esgotem as 20 vagas. As palestras serão realizadas durante quatro quartas-feiras, às 20 horas. A primeira delas será no dia 16 de maio. Os temas abordados serão “Depressão no âmbito Físico”, “Depressão no âmbito Psicológico” e “Depressão no âmbito  Espiritual”.

“Esta é uma proposta diferente de levar informações às pessoas que passam por depressão ou aos familiares e amigos de pessoas que enfrentam o problema e gostariam de oferecer ajuda e orientação. As palestras serão ministradas por profissionais qualificados e que tem conhecimento do assunto. O Fundo Social foi presenteado com as quatro palestras, mas o ciclo é aberto a toda comunidade, independente da religião das pessoas”, ressaltou a presidente do Fundo Social de Solidariedade e primeira-dama, Glauciane Pontes Helena Franco.

É importante lembrar que a inscrição é gratuita. “Se você não enfrenta a depressão, mas conhece alguma pessoa que passa por isso, convidamos para que venha fazer esse ciclo de palestras”.

Márcia e Marcos Moura e a psicóloga Dayanne Ortega, que vão ministrar as palestras, lembraram que o ciclo será uma forma de levar informação à população. “É um tema delicado. É uma realidade que precisa ser debatida. As pessoas precisam saber que tem apoio para enfrentar situações difíceis”.

Estudos apontam que 25% da população mundial vai passar por algum tipo de transtorno psicológico durante a vida. E um dado muito relevante é que a depressão tem grande ligação com casos de suicídio, o que preocupa autoridades de todo o planeta. Dados apontam ainda que 90% das pessoas que tiram a própria vida sofrem com a depressão, e que apesar da doença afetar mais indivíduos do sexo feminino, os homens se matam mais que as mulheres.

“A gente tem algumas chances no decorrer da vida de conversar sobre coisas que ninguém conversa e quase todo mundo passa, em maior ou menor grau. Tem muita coisa acontecendo num ambiente como as escolas com muitos jovens e adultos, no trabalho das pessoas e até mesmo no âmbito familiar. É importante a gente chegar ter esse espaço aberto, livre de muitos protocolos, para conseguir dialogar com calma e verdade. È isso que pretendemos com esse ciclo de palestras”, ressaltou um dos palestrantes.