Na tarde da segunda-feira, dia 29 de junho, os prefeitos de Jales e de Santa Fé do Sul, Flávio Prandi Franco e Ademir Maschio, o secretário municipal de Saúde de Fernandópolis, Ivan Veronesi, e o médico Infectologista, Dr. Maurício Favaleça, se reuniram na Câmara Municipal de Jales com outros prefeitos da região e autoridades para discutirem o enfrentamento à Covid-19 e medidas restritivas de prevenção e controle da doença.

Um dos objetivos é de evitar o colapso dos números de leitos dos hospitais, que tem preocupado gestores municipais e infectologistas de municípios das três microrregiões. Representantes de 21 municípios, entre eles 16 prefeitos municipais, participaram do encontro. O presidente da Associação Comercial e Industrial de Jales (Acij), Leandro Rocca, do Conselho Municipal de Saúde, José Célio Martini, e do Consórcio Público Intermunicipal de Saúde da Região de Jales (Consirj), José Roberto Pietrobom, também estiveram presentes.

O médico infectologista Dr. Maurício Faveleça, que atende Jales, Santa Fé do Sul, Fernandópolis e Ilha Solteira, abriu a reunião dizendo que a ocupação dos leitos dos hospitais da região é preocupante, “então o que a gente pede é para que toda a população tenha consciência de suas ações no dia a dia, porque quanto maior o número de infectados, vai refletir dentro de um hospital, e ninguém quer ter um familiar ou uma pessoa querida precisando de um hospital e as vezes ter que ser transferida por falta de leitos. Meu objetivo nessa região é trazer o nosso apelo aos prefeitos e autoridades em Saúde de toda a região para que possam tomar uma medida em conjunto, porque não adianta um município sozinho tomar a decisão, até porque nossos hospitais atendem toda uma região. Queremos que nós possamos, nas próximas semanas, ter uma situação um pouco melhor no que tange ao enfrentamento da Covid-19. Com cada pessoa fazendo seu papel nós vamos conseguir passar por isso. Não adianta achar que o papel é só do outro”.

Dr. Maurício comentou sobre a ocupação dos leitos de UTI e fez um apelo para que a população deixe de participar de confraternizações e festas que tem aglomerado muitas pessoas. “Hoje, em Santa Fé do Sul e Fernandópolis, nossas UTIs estão completamente cheias, então, se precisássemos de um leito em UTI seria necessário transferir o paciente para outro município. Em Jales, no final dessa tarde, dos seis leitos de UTI disponíveis, quatro estavam ocupados”. O médico disse “que faz um apelo grande para que as pessoas deixem de participar de festas e confraternizações, como tem ocorrido na região. Nessas festas sempre ocorre aglomerações, as pessoas tiram as máscaras para conversar, comer, beber e a transmissão do vírus se dá de forma muito fácil nesses ambientes. A partir do momento que transmitem para uma, duas, três pessoas nessas confraternizações, essas pessoas vão para suas casas e transmitem para suas famílias também”.

Foi quase unânime entre os prefeitos citar a dificuldade de fiscalizar festas e confraternizações que acontecem, na maioria das vezes, em ranchos e chácaras. “Precisamos contar com o apoio da Polícia Militar e apertar o cerco para evitar que esses tipos de festas continuem acontecendo. Muitos casos de transmissão de Coronavírus se dão nessas festinhas. Precisamos acabar com isso para o bem da população e para salvar vidas”, disseram.

Entre as sugestões apresentadas pelos prefeitos e autoridades que fizeram uso da palavra, uma possível antecipação da Fase Vermelha (atualmente a região de Jales, Fernandópolis e Santa Fé se encontram na Fase Laranja); proibição da venda de bebidas alcóolicas; aumento da fiscalização em festas, bares e confraternizações em chácaras e residências; criação de um decreto regional para que todas as cidades da região tenham as mesmas regras estabelecidas; pedir maior apoio da polícia para fiscalização de regras e determinações; fechamento das “prainhas” da região; possibilidade de criar um “mini lockdown”, limitação do funcionamento do comércio; entre outras medidas foram citadas.

Ao final, ficou decidido que os prefeitos enviarão ao prefeito Flá, de Jales, até a quarta-feira, dia 1º de julho, documentos com suas sugestões apresentadas na reunião. “Ainda nesta semana deverá surgir uma decisão unificada, envolvendo todas as cidades da região”, informou o prefeito de Santa Fé do Sul, Ademir Maschio.

O prefeito anfitrião, Flá, disse que foi um encontro importante que reuniu prefeitos, autoridades e lideranças de toda a região que querem estar unidos no enfrentamento à Covid-19. “Queremos nos unir para tomarmos algumas posições em relação ao enfrentamento das transmissões. O vírus avançou para o interior e está chegando mais forte em nossas cidades. Nessa reunião definimos alguns pontos e vamos colher as informações dos prefeitos de cada microrregião para produzirmos um documento com o objetivo de seguirmos conjuntamente. Cada prefeito já fez a sua ação individual, agora vamos tentar fazer um projeto regional para ajudar no enfrentamento ao Coronavírus, ouvindo sempre os nossos especialistas em infectologia. Com esse olhar, vamos tentar uma saída, sem penalizar ninguém, mas para priorizar a saúde da população”.

O médico Infectologista, Maurício Favaleça, os prefeitos de Jales e de Santa Fé do Sul, Flá e Ademir Maschio e o secretário municipal de Saúde de Fernandópolis, Ivan Veronesi, comandaram a reunião

Autoridades e representantes de 21 municípios da região, entre eles 16 prefeitos, participaram da reunião realizada em Jales para traçar ações de enfrentamento à Covid-19