A Prefeitura de Jales, por meio da Secretaria Municipal de Saúde e SAE/CTA (Serviço de Assistência Especializada e Centro de Testagem e Aconselhamento),  promoveu na tarde de quinta-feira, 17 de maio, uma palestra que teve como tema “Conquistando novos territórios no tratamento da Hepatite C”, destinado aos profissionais de saúde, ministrada pelo membro do Comitê de Hepatites Virais da Sociedade Brasileira de Infectologia e docente da Faculdade Medicina de Sorocaba, Dr. Fernando Ruiz. Estiveram presentes médicos e enfermeiros de Jales e de diversas cidades da região.

Durante os últimos anos ocorreram diversos avanços em pesquisas relacionadas ao tratamento da Hepatite C, o que aumenta a possibilidade de cura. Conforme destacado ao longo do evento, a divulgação de informações pelos agentes aos usuários do sistema de saúde e a instrução sobre a realização de testes rápidos para o diagnóstico da doença é de extrema importância.

A secretária municipal de saúde, Maria Aparecida Moreira Martins, ressaltou o sucesso do evento como anfitriã: “Tivemos muito êxito neste encontro, conseguimos reunir profissionais da área da saúde de diversas cidades. Com os profissionais capacitados e sensibilizados para a aplicação dos testes, que estão disponíveis em todas as Unidades Básicas de Saúde, poderemos detectar casos e posteriormente tratá-los com o apoio dos técnicos do nosso SAE/CTA”.

Maria Aparecida completou que “o SAE/CTA é especializado em infectologia e dá todo apoio necessário para atenção básica fazer o tratamento e acompanhamento dos pacientes. Precisamos conscientizar toda a população da necessidade de fazer os exames em busca de um diagnóstico, pois, a partir de um simples teste é possível constatar a doença e fazer o devido tratamento”.

Responsável pelo desenvolvimento da palestra, Dr. Fernando Ruiz enfatizou que o principal objetivo do encontro é conscientizar as pessoas no sentido de elevar o nível de detecção de novos casos de hepatite C, a doença tem apresentado dentro do novo modo de tratamento medicamentoso, um índice de cura elevado.  “O tratamento era muito penoso e hoje está bastante descomplicado, fácil e sem eventos adversos, fazendo com que ele possa ser administrado para muito mais pessoas do que era no passado, com um elevado índice de cura e se torna uma situação bastante favorável. As Unidades Básicas de Saúde dispõem de testes rápidos, os quais têm um nível de confiabilidade de quase 100% para detectar anticorpo, que é o primeiro passo que qualquer pessoa precisa”, completou.

O médico Infectologista do SAE, Fernando Maurício Favaleça, também participou do evento, oportunidade que ressaltou “que é preciso capacitar os profissionais para o atendimento dos pacientes e difundir a informação para que mais casos sejam diagnosticados, porque existem muitas pessoas que são portadoras do vírus da Hepatite C e não sabem. É importante difundir a informação e realizar o teste rápido ou o exame de sorologia para um diagnóstico dos pacientes e poder posteriormente, tratar e curar”.

Ao final do evento houve um espaço para as dúvidas dos profissionais e um amplo momento para o debate referente ao assunto. Na sequência foi servido um coffee break de encerramento.