Apostando na máxima de que a prevenção é o melhor remédio, a Prefeitura de Jales, em parceria com o SAMU 192 (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), promoveu uma capacitação de primeiros socorros para servidores da Secretaria Municipal de Educação. A atividade aconteceu no Plenário Presidente Tancredo Neves da Câmara Municipal de Jales e reuniu funcionários das Escolas Municipais de Educação Infantil (EMEIs).

O objetivo da formação é tornar esses profissionais que atuam na rede municipal de ensino, capacitados para atuar em situações de emergência e, ainda mais importante, conseguir prevenir os acidentes. A capacitação atende Lei nº 4.792/2018, que estabeleceu a obrigatoriedade de adoção de treinamento teórico-prático em primeiros socorros da rede de ensino infantil e fundamental, denominada Lei Lucas Begalli Zamora, em referência ao menino que morreu após ter se engasgado com uma salsicha de cachorro-quente durante um passeio escolar. O acidente ocorreu em Campinas (SP), em setembro de 2018.

Em março do ano passado a Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei de autoria dos deputados Ricardo Izar e Pollyana Gama, que obriga a realização da capacitação de primeiros socorros. O então presidente Michel Temer sancionou a Lei em outubro. Conforme a Lei, o curso poderá ser oferecido anualmente por entidades especializadas em práticas de auxílio imediato e emergencial à população, como Corpo de Bombeiros e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

O curso ministrado pela enfermeira responsável do Núcleo de Educação Permanente em Urgência e Emergência, Polyana Tavares Tobal, e pela enfermeira intervencionista do SAMU, Crislaine Nascimento, permite que professores e funcionários possam identificar e agir, preventivamente, em situações de emergência e urgência médica; e intervir no socorro imediato dos acidentados até a chegada do suporte médico.

A proposta não visa transferir ao profissional de ensino ou recreação a responsabilidade de exercer o papel de um profissional de saúde. Somente em 2016, mais de 2.300 crianças de até 14 anos morreram no Brasil por causa da falta de pessoas habilitadas a prestar os primeiros socorros.

As profissionais explanaram sobre o funcionamento do SAMU, falaram sobre os tipos de ambulâncias, unidades de suporte básico, as diferenças entre o SAMU e o Corpo de Bombeiros, sobre quando a população deve ligar para o SAMU 192, frisaram como funciona a ligação, deram orientações para os participantes, forneceram informações para evitar o problema de trotes telefônicos que acabam sendo recorrentes e acabam atrapalhando o trabalho das equipes e, em uma segunda etapa deram as orientações sobre primeiros socorros.

A supervisora de ensino Elaine Magri representou a secretária municipal de Educação, Lourdes Marcondes Rezende. Para ela “reconhecer a grandeza e a importância do treinamento de primeiros socorros no ambiente de trabalho, principalmente quando se trabalha diretamente com crianças, é compreender o grande valor que tem vida humana. Além disso, às noções de primeiros socorros nunca é em vão, pois os acidentes podem acontecem de forma inesperada, e é sempre bom estar preparado e ajudar a salvar vidas”.