Jales aderiu à campanha mundial Setembro Amarelo, de prevenção ao suicídio. A cor foi escolhida para simbolizar as ações e mostrar a realidade sobre o problema que afeta milhares de pessoas, além de informar que existe prevenção em mais de 90% dos casos, segundo a Organização Mundial da Saúde.

Pensando nisso, o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS I), realizou na tarde da segunda-feira, dia 10, quando é celebrado o Dia Internacional de Prevenção ao Suicídio, uma mesa redonda para discutir o tema. O evento promovido na Associação Paulista de Medicina contou com a presença da psiquiatra do CAPS I de Jales, Drª Daniele Cicoti Martinez, psiquiatras do Ambulatório de Saúde Mental de Jales, Drª Ana Cristina Aidar Lopes e Drª Graziella Plastina Chaves Ribeiro, além do infectologista do SAE-CTA de Jales, Dr Maurício Favaleça. Também compuseram a mesa, a enfermeira do CAPS I de Jales, Jamila de Lima Gomes e o psicólogo e professor mestre da FEF, Oswaldo Júnior.

Foram pautados diferentes temas e assuntos sobre o suicídio como “Estatísticas e fatores de risco e proteção”, “Causas e o que fazer e como agir diante do suicídio”, “Mitos e verdades, Infectologia X Suicídio”, “Uso indevido ou abusivo da internet e dos recursos tecnológicos e suas consequências” e “Posvenção no auxílio aos sobreviventes”.

A abordagem utilizada no evento teve como foco principal os trabalhadores de saúde da Atenção Básica (ESFs), focando em professores e alunos da rede estadual de educação.

O evento foi desenvolvido pelo CAPS Jales e contou com o apoio da Secretaria Municipal de Saúde de Jales, CONSIRJ (Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região de Jales), NASF (Núcleo de Apoio à Saúde da Família), SAE-CTA (Serviço de Assistência Especializada e Centro de Testagem e Aconselhamento) e Ambulatório de Saúde Mental de Jales. A APM (Associação Paulista de Medicina) de Jales, também foi parceira da ação, cedendo gentilmente suas dependências e funcionários para acomodar os palestrantes e convidados.

SETEMBRO AMARELO

O Setembro Amarelo é uma campanha que foi criada com o intuito de informar as pessoas sobre o suicídio, uma prática que normalmente é motivada pela depressão e que mesmo com tantos casos notórios, é crescente a cada ano. Ainda existe uma expressiva barreira para falar sobre o assunto. A campanha teve início no Brasil, em 2015, pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). As primeiras atividades realizadas pelo Setembro Amarelo aconteceram na capital do país, Brasília e no ano seguinte várias regiões de todo o Brasil aderiram ao movimento e também participaram. A Associação Internacional para a Prevenção do Suicídio (IASP) estimula a divulgação da causa no mundo inteiro no dia 10 de setembro, que é a data na qual é comemorada como o Dia Internacional de Prevenção ao Suicídio.

CENTRO DE VALORIZAÇÃO DA VIDA (CVV)

O CVV — Centro de Valorização da Vida, fundado em São Paulo, em 1962, é uma associação civil sem fins lucrativos, filantrópica, reconhecida como de Utilidade Pública Federal, desde 1973. Presta serviços voluntários e gratuitos de apoio emocional e prevenção do suicídio para todas as pessoas que querem e precisam conversar sendo realizado sobre sigilo e anonimato. Os contatos com o CVV são feitos pelo telefone 188 com funcionamento de 24 horas e sem custo de ligação,  pessoalmente nos 93 postos de atendimento. Nestes canais, são realizados mais de dois milhões de atendimentos anuais, e contam com aproximadamente 2.400 voluntários.