A Prefeitura de Jales, após se reunir com autoridades municipais e discutir o plano de contingência ao coronavírus, traçou as medidas a serem tomadas em caso de suspeita de transmissão da doença COVID-19.

Em comum acordo entre a Secretaria Municipal de Saúde, Santa Casa de Misericórdia, Hospital do Amor, Ambulatório Médico de Especialidades – AME, Unidade de Pronto Atendimento – UPA e unidades de saúde decidiram seguir as orientações estaduais e o Boletim Epidemiológico emitido pela Secretaria de Vigilância em Saúde, órgão do Ministério da Saúde.

De acordo com o Boletim Epidemiológico, em 11 de março de 2020, a Organização Mundial da Saúde classificou a doença Coronavírus 2019 (COVID-19) como uma pandemia. Isso significa que o vírus está circulando em todos os continentes e há ocorrência de casos oligossintomáticos, o que dificulta a identificação. Deste modo, principalmente no hemisfério sul, onde está o Brasil, os países devem se preparar para o outono/inverno com o objetivo de evitar casos graves e óbitos.

Nos meses de outono e inverno, que vão de 20 de março a 20 de setembro, há uma grande circulação dos vírus respiratórios (exemplo da influenza) que causam pneumonias, otites, sinusites e meningites. A doença pelo coronavírus não é diferente, porque também é uma doença respiratória e todos devem se prevenir.

 

Quando procurar uma unidade de saúde?

Ressaltamos que nesse período de outono e inverno, com o aumento do número de pacientes com sintomas respiratórios, é importante que os casos sem gravidade, só se houverem necessidade, sejam atendidos nas Unidades Básicas de Saúde, portanto o munícipe deve se consultar no posto de saúde do seu bairro. Essa medida tem por objetivo prevenir o contato de casos entre pessoas em um ambiente hospitalar. Aqueles que possuem planos de saúde devem preferir os consultórios médicos.

Cabe orientar a população que realmente procure as unidades de saúde apenas quando for necessário. Caso o munícipe tenha apenas sintomas leves de resfriado e gripe, a orientação é que permaneça em casa, faça uso de suas medicações antigripais de costume e mantenha-se em repouso.

Serão tratados como casos suspeitos de coronavírus pacientes que viajaram ao exterior e, até 14 dias após a volta, apresentaram febre e pelo menos um dos sinais ou sintomas respiratórios (tosse, dificuldade para respirar, produção de escarro, congestão nasal ou conjuntival, dificuldade para deglutir, dor de garganta, coriza, dentre outros). Também irão se enquadrar como caso suspeito as pessoas que tiveram contato próximo com quem voltou do exterior e apresentam os mesmos sintomas.

Já quem teve contato direto com pessoa que, nos últimos 14 dias, resida ou trabalhe no domicílio de caso suspeito ou confirmado para COVID-19 e apresente febre ou pelo menos um sinal ou sintoma respiratório ou outros sinais e sintomas inespecíficos como fadiga, mialgia, dor de cabeça, calafrios, gânglios linfáticos aumentados, diarreia, náusea, vômito, desidratação e inapetência, será automaticamente considerado um caso provável de doença pelo coronavírus.

De acordo com o Ministério da Saúde, apenas pacientes identificados com Síndrome Respiratória Aguda Grave devem ser encaminhados aos serviços de urgência/emergência ou hospitalares de referência, conforme plano de contingência local. Essa medida tem por objetivo preservar a saúde dos demais pacientes e profissionais da saúde, além de evitar que aglomeração de pessoas torne os atendimentos mais demorados.

Caso seja necessário procurar o serviço de saúde, o paciente suspeito deverá usar máscara de proteção.

LEMBRE-SE:

– Higienizar as mãos com frequência: o álcool gel ou a higiene com água e sabão são eficazes para o combate do vírus;

– Evitar tocar a boca, nariz e olhos: caso seja necessário, higienize as mãos imediatamente antes e depois;

– Utilizar a etiqueta da tosse: se for tossir ou espirrar não utilize as mãos ou lenços de tecido. Utilize preferencialmente lenço descartável e, se não for possível o lenço, utilize o antebraço para proteção da boca e nariz;

– Evitar aglomerações e locais fechados;

– Manter os ambientes higienizados e ventilados em casa e no trabalho;

– Manter distância de pelo menos um metro das demais pessoas;

– Não compartilhar objetos pessoais.